O amor de Deus

O amor de Deus

O verso, do Evangelho de João, é uma verdadeira joia que fala a respeito do amor de Deus.

“Porque Deus amou tanto ao mundo que ele deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (KJV) João 3.16

O pastor Manoel Avelino de Souza, em sermão pregado na Igreja Baptista de Nictheroy, no dia 25 de maio de 1930, mostra que temos em João 3.16 aquilo que Lutero chama de “o evangelho em miniatura” (“Verdades contidas no V. 16 de João C. 3” in Sermões do Púlpito Baptista. Rio de Janeiro: Casa Publicadora Batista, 1936, p. 285).

O comentarista William Hendriksen, em seu Comentário do Novo Testamento, nos ajuda a identificar os aspectos do amor de Deus demonstrados nesse puro evangelho de João 3.16. São eles:

1) Seu caráter – João 3.16 mostra o amor de Deus “em um grau tão infinito e de maneira tão transcendente e gloriosa”. É o “grande e central amor de Deus em ação…, é o amor rico e verdadeiro, cheio de compreensão, ternura e majestade” (p. 164).

2) Seu autor – é o próprio Deus, o nosso Pai Celeste que é “sempre cheio de vida e de amor” (p. 164).

3) Seu objeto (o mundo) – o amor de João 3.16 tem como objeto não os “pássaros e árvores”, mas sim a “humanidade caída em seu aspecto internacional”. O Filho de Deus veio para salvar toda tribo e nação, todos os povos, todas as pessoas deste mundo (p. 165).

4) Seu presente (“que deu o seu Filho, o unigênito”) – “Adádiva do Filho é o clímax do amor de Deus (cf Mt 21.33-39)” (p. 165).

5) Seu propósito – “para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna”. “Deus não deixa a humanidade entregue a si mesma” (p. 165).

Que creiamos nesses importantes aspectos do amor de Deus demonstrados nesse tão precioso verso de João 3.16! Só assim poderemos ter a garantia da vida eterna!

Seu pastor e amigo,

J. Laurindo