Perseguição velada

Perseguição velada

Paloma é uma das muitas mulheres estrangeiras que vivem na Itália. Tivemos a oportunidade de agregá-la ao pequeno grupo virtual que iniciamos na pandemia. É perceptível a sua grande fome espiritual. Mas à medida que estreitamos a amizade, conhecemos um pouco mais da sua história.

Como tantas estrangeiras, ela é casada com um italiano que não concebe a ideia de haver um relacionamento com Deus. Ela confessou que deseja frequentar a nossa igreja, mas sabe que seu marido não permitirá. Se não fosse um grupo que acontece pela internet, Paloma não conheceria a palavra de Deus e nem seria discipulada.

Cesare, um italiano de uns 65 anos, é outro que tem o seu relacionamento com Deus prejudicado, mas por ele mesmo. Logo após uma cerimônia de casamento, ele puxou conversa comigo, comentando sobre o sermão que ouviu. Ele contou que seu pai, um comunista convicto, começou a mudar depois de ler a Bíblia. Naquele momento tentamos marcar um café para “conversar mais sobre essas coisas”. Mas ele, muito firme, disse: “Não, obrigado. Não quero viver a mesma experiência do meu pai”.

Aqui na Itália não há perseguição como a que acontece em alguns países da Ásia e do Norte da África, em que igrejas são queimadas e os cristãos massacrados e mortos. Mas a “perseguição” aqui acontece de outras formas: é através da burocracia que dificulta ou não autoriza a igreja a fazer um simples culto ao ar livre; vem de pessoas como o marido da Paloma ou como o Cesare.

Realizar a obra missionária nesse contexto exige total dependência de Deus, sabedoria do alto e estratégias que tragam resultados positivos. Estamos sempre focados em ações que sejam uma resposta a essa calamidade.

Transmitimos a visão missionária através de cultos missionários e do mentoreamento de líderes. Despertamos os crentes a sinalizar o Reino de Deus suprindo algumas necessidades materiais a sua volta. São desafios que requerem tempo e paciência para ver os resultados.

Contamos com as suas orações para continuarmos a obra que o Senhor nos confiou em terras italianas.

Luiz Cláudio Marteletto
Missionário na Itália
(Extraído da Revista da Campanha 2021 – Junta de Missões Mundiais, p. 17)