Velhos cântaros

Velhos cântaros

No Evangelho de João encontramos ensinamentos que nos ajudam a prosseguir na vida cristã quando somos desafiados a deixar para trás os nossos cântaros como diz esse verso relacionado à vida da mulher samaritana.

“Então, a mulher deixou ali seu cântaro, foi à cidade e disse ao povo:…” João 4.28

O cântaro que aquela mulher carregava, não podia atrapalhar e nem servir de empecilho para que pudesse correr e testemunhar de Jesus aos homens e mulheres de sua cidade. A motivação principal do seu coração para o exercício dessa atividade missionária era porque ela trazia a “água viva” em seu coração.

Mesmo imperfeito, defeituoso e faltando uma experiência de aprendizado das doutrinas básicas, o testemunho daquela mulher levou o povo da cidade a Jesus. Isso nos impressiona. Aliás, nos desafia a falar de Jesus mesmo que não tenhamos conhecimento profundo das Escrituras, mesmo que sejamos novatos na fé.

Mas, para levar a mensagem às cidades de hoje, somos desafiados por Jesus a deixar os nossos velhos cântaros. Por exemplo: o velho cântaro da mentira, do ódio, da raiva, das feridas, das mágoas, da dor, do medo, das águas contaminadas, da falta de relacionamento com os pais, com os familiares, com os amigos e com os irmãos em Cristo.

Além disso, devemos deixar o velho cântaro do comodismo, o velho cântaro dos cerimoniais religiosos, das mil desculpas que atrapalham o nosso testemunho de fé em Cristo. Se há em nosso coração o desejo de falar de Cristo às cidades de hoje, devemos deixar os nossos velhos cântaros e encher o novo cântaro de nossa vida cristã, com a verdade, o amor, a paciência, a ética de Jesus, com a paz do Espírito, enfim, com tudo que é verdadeiro e bom.

Aprendamos com a mulher samaritana: vamos deixar o velho cântaro do mal e encher o novo cântaro com a mensagem transformadora do poder de Jesus levando felicidade aos outros e demonstrando que em Cristo temos condições de vencer os obstáculos.

Que para tanto, o Senhor nos abençoe.

Seu pastor e amigo,

J. Laurindo