Discípulos de Cristo hoje

Discípulos de Cristo hoje

1) O ministério dos discípulos e a vocação para o discipulado.

De acordo com David Bosch, “a vocação dos discípulos é um chamado para seguir Jesus e ser um posto à parte para atividades missionárias. A vocação, o discipulado e a missão constituem unidade…” (Missão transformadora, p. 58).

Essa unidade é válida para todos aqueles que são vocacionados para o discipulado tanto no tempo de Jesus como hoje. Dentro da vocação dos discípulos, há várias áreas nas quais eles podem atuar: curar (Mateus 10.1), pregar (Mateus 10.7), ensinar (Mateus 28.20) e testemunhar do Evangelho (Atos 1.8).

David Bosch continua dando um resumo daquilo que os discípulos de hoje devem fazer. Ele declara: “Os discípulos são conclamados a proclamar a vitória definitiva de Jesus sobre o poder do mal, a testemunhar sua presença permanente e a conduzir o mundo ao reconhecimento do amor de Deus” (Missão transformadora, p. 112).

2) O ministério dos discípulos e a autoridade de Jesus.

O ministério dos discípulos deve ser aquele dado por Jesus Cristo. De posse de sua autoridade (Mateus 10.1), eles são capacitados a realizar a obra para a qual foram chamados. Sem essa autoridade, eles nada podem fazer.

3) O ministério dos discípulos e seu testemunho.

Os discípulos estavam empenhados em um trabalho totalmente novo. Não serviam as suas profissões, nem as suas famílias. Foram desafiados a testemunhar de Cristo para o mundo de sua época. Esse testemunhar de Cristo é o trabalho que os discípulos de hoje devem exercer.

4) O ministério dos discípulos e sua renúncia.

Quem deseja ser discípulo de Jesus deve estar disposto a renunciar o que for necessário. Lucas 14.26 nos apresenta uma lista composta de: pai, mãe, mulher e filhos e a própria vida. Diz Jesus: “Quem não leva a sua cruz e não me segue, não pode ser meu discípulo” (Lucas 14.27).

O Senhor continua chamando discípulos para exercerem o ministério nos dias de hoje. Você aceita esse desafio? Então, ore a fim de que Deus confirme a sua vocação, a obediência à autoridade de Jesus, a disposição para testemunhar do Evangelho e o renunciar o que for necessário para exercer o discipulado.

Para tanto, Deus nos abençoe.

Seu pastor e amigo, J. Laurindo