O dia do Senhor

O dia do Senhor

O Dia do Senhor é esperado por todos os que creem na segunda vinda de Jesus Cristo. Essa esperança escatológica esteve presente em Israel bem antes da época de Jesus. É o que podemos ver no texto de Amós 5.18-20, onde o profeta fala a respeito do dia tão esperando por Israel.

O contexto vivido pelo profeta pode ser resumido num quadro de injustiça social, culto vazio e idolatria. Tal realidade se tornou o foco de sua mensagem a respeito do julgamento divino sobre o Reino do Norte. Amós alertou o povo a respeito do seu terrível fim, como consequência da idolatria, do culto vazio que era prestado a Deus e da injustiça social.

O desejado Dia do Senhor traria o juízo, do qual não seria possível fugir se a conduta ética e religiosa da nação não fosse modificada. Afastar-se do mal, buscar o bem e implantar a justiça seria o meio pelo qual Israel poderia alcançar o perdão divino (Amós 5.14-15).

“Busquem o bem e não o mal, para que vocês vivam. E assim o Senhor, o Deus dos Exércitos, estará com vocês, como vocês dizem. Odeiem o mal e amem o bem. Promovam a justiça nos tribunais. Talvez o Senhor, o Deus dos Exércitos, se compadeça do remanescente de José.” Amós 5.14,15.

Hoje, de forma semelhante, há pessoas que mesmo conhecendo o amor de Cristo, e que em todos os domingos fazem calorosas declarações de amor a Deus, no seu dia a dia têm ignorado as necessidades do seu próximo, sejam elas, físicas ou espirituais. Muitos, através da exploração de outras pessoas, têm sido beneficiados materialmente.

É importante nos lembrarmos do que Jesus disse em Mateus 7.15-23: “Cuidado com os falsos profetas, (…) pelos frutos os conhecereis. (…) Uma árvore boa não pode dar frutos maus, nem árvore má dar frutos bons. (…) Nem todo o que me diz Senhor, Senhor! entrará no reino do céu, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está no céu.

Naquele dia, muitos me dirão: Senhor, Senhor, nós não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios? Em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; afastai-vos de mim, vós que praticais o mal.” Podemos concluir que aquele que procura seguir o que nos orienta a Palavra de Deus, afastando-se do mal, buscando o bem e procurando implantar a justiça, não terá o que temer no Dia do Senhor, pois para ele esse será um dia de luz e não de escuridão.

Já aqueles que têm procurado relacionar-se com Deus como forma de obter vantagens para si, aqueles cujas palavras de amor a Deus não são afirmadas por meio de suas atitudes para com o próximo, necessitam repensar a sua maneira de cultuar a Deus e de tratar os seus semelhantes, pois se continuarem assim, aquele Dia, será de escuridão e não de luz para cada um deles.

Pr. Cleverson Pereira Rodrigues
Ministro de Evangelismo e Missões da PIBN