O amor na família

O amor na família

Ao ser convidado pela irmã Cidélia, nossa líder do Ministério Infantojuvenil, para dar uma palavra aos pais das crianças que participaram da Escola Bíblica de Férias, senti no coração o desejo de compartilhar um pouco daquilo que tenho aprendido sobre o amor praticado pelos servos de Deus dentro da família cristã. Fui desafiado a responder a pergunta principal da EBF, ou seja: Que amor é esse? Então vejamos:

1)O AMOR NA FAMÍLIA CRISTÃ NÃO É O AMOR ÉROS:
A palavra “eros” descreve um amor inteiramente ligado à carne. O adjetivo
“erótico” lembra-nos do conteúdo dessa palavra. É um tipo de amor, mas um amor egoísta. Por exemplo, se esse amor influenciar o relacionamento entre marido e mulher e a criação de seus filhos, diversos problemas podem surgir, tais como: deixar o coração de uma esposa partido, enganar um marido, trair um amigo, abandonar os próprios filhos, e outros (cf. LEWIS, C. S. Os quatro amores. Rio de Janeiro, Thomas Nelson Brasil, p. 127). O amor éros engana. Nele não se fala que o homem foi infiel à esposa, e vice e versa. Não se fala que os filhos vão sofrer as consequências de uma separação, de um divórcio. Não se fala que tanto o marido quanto a mulher têm a culpa pelo rompimento de seus votos conjugais. Não se fala nem na profanação da santidade do matrimônio como descrita em Hebreus,
que diz: “Sejam honrados entre todos o matrimônio e a pureza do leito conjugal; pois Deus julgará os imorais e adúlteros” (Hb 13.4). O amor éros é divulgado pela mídia em geral e, em especial, pelos programas de TV, que dão total importância a esse amor ao descartar de uma vez por todas, o verdadeiro amor que vem de Deus. O amor tipificado como éros não é suficiente para a edificação de uma família cristã, que se orienta pelos
princípios da Bíblia Sagrada.

2) O AMOR NA FAMÍLIA CRISTÃ VAI ALÉM DO AMOR PHILIA:
“Philia” é uma palavra usada para referir-se à amizade entre amigos. Significa “gostar de”. Esse tipo de amor é praticado por organizações filantrópicas, obras de caridade, por exemplo. Algumas das características do amor tipificado como philia são: é altruísta, é solidário, não é curioso. Mas, à semelhança do amor eros, o amor philia, é “incapaz de salvar-se” (C. S. Lewis, Os quatro amores, p. 121). Por isso, dizemos, philia também não é suficiente para a edificação de uma família cristã que se orienta pelos princípios da Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus.

3) O AMOR NA FAMÍLIA CRISTÃ É O AMOR ÁGAPE:
“Ágape” é palavra que expressa o amor de Deus por nós, a exemplo do que diz João 3.16. É a palavra da Língua Grega que foi usada pelos escritores do Livro Sagrado para designar o tipo de amor demonstrado por Deus pela humanidade, sendo a expressão mais elevada de amor que o mundo veio a
conhecer. Paulo usa a palavra “ágape” quando fala do amor que deve existir entre marido e mulher. Ele diz: “Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a
sua mulher, ama-se a si mesmo” (Efésios 5.28). Ágape é o amor que deve prevalecer nas relações estabelecidas entre os membros de uma família que se orienta pelos ensinos da Palavra da Deus, a Bíblia Sagrada.

Que dentro de nossas famílias possa imperar somente o amor ágape!
Para tanto, o Senhor nos abençoe.
Seu pastor e amigo,
J. Laurindo