Igreja avivada pelo Espírito

Igreja avivada pelo Espírito

O livro de Atos relata várias experiências que as igrejas tiveram com o avivamento vindo do Espírito Santo. Não foi um avivamento sem propósito, sem objetivo, sem que pudesse resultar em pontos positivos para a vida dos
apóstolos e, também, para a vida de todos nós. Foi um avivamento espiritual que deixou os membros daquelas igrejas cheios do poder do Espírito Santo e prontos para anunciar a salvação em Jesus a todos os povos da época. Judeus, gentios, samaritanos, medos, persas e muitos outros passaram a ouvir a pregação do Evangelho e se entregaram a Cristo Jesus.

Quando meditamos em Atos 2.42-47, logo no início da expansão do Evangelho, vemos que o avivamento espiritual ali ocorrido deixou marcas
profundas na vida da Igreja. Eis duas delas:

1) A primeira marca: dedicação total ao ensino dos apóstolos.

Aqueles nossos irmãos estavam no início da carreira cristã. Eles queriam aprender, queriam se aprofundar nas doutrinas, queriam saber mais de Jesus. Por isso, se dedicaram ao ensino dos apóstolos. Esses tinham o conhecimento dos ensinamentos de Jesus. Aqueles irmãos não se dedicaram ao ensino dos judeus, ao ensino dos gregos, ao ensino dos filósofos da época, mas ao ensino de quem havia experimentado a salvação, ao ensino de quem havia estado com Jesus.

Isso deixa uma grande lição para nós: aqueles que se dedicam ao ensino dos
apóstolos não ficam confusos. Não ficam sem direção. Não ficam sem a
certeza da salvação. Não ficam sem saber o que fazer quando a morte lhes
bate à porta. Não ficam com medo do inimigo. Pelo contrário, quem se dedica ao ensino dos apóstolos tem um norte, tem uma orientação segura para a vida, sabe para onde vai, porque encontrou o verdadeiro Caminho – Jesus Cristo!

2) A segunda marca: dedicação ao louvor ao Senhor.

Os irmãos do primeiro século experimentaram, através do avivamento espiritual, um grande desejo de louvar ao Senhor. Eles deram valor à adoração porque através dela podiam reconhecer a grandeza, a bondade e a beleza de Deus.

Essa experiência marcou suas vidas, porque amavam e obedeciam ao
Salvador. O resultado não foi outro senão dedicar-se de corpo e alma ao
louvor ao Senhor. Certamente eles estavam alegres por poder fazer o que Colossenses 3.16 diz: “Cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seu coração”.

Que nos dediquemos ao ensino dos apóstolos e à dedicação ao louvor ao
Senhor. Assim poderemos experimentar a bênção de sermos uma igreja avivada pelo Espírito Santo.

Para tanto, Deus nos abençoe.
Seu pastor e amigo,
J. Laurindo.